Medicina Dentária Centro Médico Cavernães

Medicina Dentária Centro Médico Cavernães

TRATAMENTOS

Branqueamentos:

O branqueamento como o prório nome indica tem como objetivo tornar os dentes mais brancos, para tal pode recorer-se a várias técnicas. Estes procedimentos podem ser feitos em dentes vitais e dentes não vitais (desvitalizados). O branqueamento de dentes não vitais é um branqueamento individual dos dentes e realiza-se por dentro do próprio dente, sendo por isso chamado de branqueamento interno. Quanto aos dentes vitais estes podem ser branqueados por branqueamento ambulatório, realizado em casa pelo paciente, utilizado uma moldeira de silicone e produto branqueador ou no consultório através de uma luz específica (LED ou laiser).

Implantologia:

A implantologia procura repor a estética e a função em casos de ausência de dentes, utilizando estruturas em titânio que substituem a raiz do dente, estas estruturas fixam ao osso, crescendo osso em volta das mesmas (osteointegração) o que permite suportar as forças mastigatórias. Os implantes são de vários tipos e permitem substituir um ou mais dentes. A colocação do implante é realizada numa pequena cirurgia, a estrutura protética unitária ou de várias unidades é colocada posteriormente (2–6 meses depois).

Prótese Fixa:

As proteses fixas restabelecem a estética e a função, em casos de ausência de dentes ou da destruição de coroas, a estrutura fixa não pode ser removida pelo paciente, apenas pelo dentista. Na prostodontia fixa temos vários tipos de serviços como por exemplo as coroas que são restaurações cimentadas, que recobrem toda a superfície externa ou as pontes fixas, nestes casos é necessário o desgaste dos dentes adjacentes e por vezes o seu tratamento endodôntico, os dentes que servem de suporte à estrutura chamam-se pilares enquanto os dentes que substituem os dentes ausentes e que ficam suspensos chamam-se pônticos; existe ainda a possíbilidade de as estruturas fixas serem suportadas por implantes, como mostra a imagem que se encontra abaixo deste paragrafo. Quanto ao material em que são feitas, estas estruturas podem ser metálicas, metalo-cerâmicas, cerâmicas, acrílicas, em zircónio, entre outos.

Prótese Removível:

A prótese removível pode ser utilizada em casos em que o paciente tenha falta de um, vários ou mesmo todos os dentes, esta pode ser retirada pelo paciente para higienização e para dormir. Existem neste campo dois grandes grupos tendo em conta o material utilizado, as próteses acrílicas e as próteses esqueléticas, as acrílicas são realizadas totalmente em acrílico que é um material “plástico” enquanto as esqueléticas têm um esqueleto metálico, estrutura que assenta na gengiva e que segura nos dentes naturais.As próteses acrílicas são mais económicas e estéticas quando não têm ganchos metálicos, no entanto são mais espessas e de difícil adaptação à boca, enquanto que as próteses esqueléticas são mais dispendiosas e menos estéticas quando os ganchos metálicos são visíveis, são no entanto mais fáceis de suportar e de adaptação.

Ortodontia:

A ortodontia tem como objetivo endireitar a posição dentária, por questões estéticas e funcionais, com este objetivo são utilizados diversos tipos de aparelhos, adaptados a cada caso. A ortodontia pode ser aplicada em todas as idades, sendo o tratamento intersetivo realizado em dentição mista (dentes decíduos ou de leite e dentes definitivos) e na fase de maior crescimento da criança, enquanto que o definitivo é realizado em dentição permanente.

Esta é uma área em que os tratamentos são mais demorados (vários meses), incluindo diferentes fases, temos então a consulta de diagnóstico, onde são tiradas radiografias e feitas impressões afim de escolher a melhor opção de tratamento; a consulta de colocação de aparelho; as consultas de manutenção e por fim a consulta de remoção do aparelho, nesta última é aplicado por vezes um aparelho de contenção que impede que os dentes se movimentem da posição conseguida pelo tratamento.

Periodontologia:

Periodontia ou periodontologia é a área da medicina dentária que estuda e trata as doenças dos tecidos que envolvem e suportam os dentes, a que se chama periodonto. O periodonto por sua vez é constituido pela gengiva, osso alveolar, ligamento periodontal e cemento e a sua função é a inserção do dente no tecido ósseo dos maxilares e conservar a superfície da mucosa mastigatória da cavidade oral. As principais patologias periodontais são a gengivite (afeta apenas a gengiva) e a periodontite (afeta a gengiva, o osso e o ligamento periodontal), sendo o primeiro passo para o tratamento a educação para um bom controlo da placa bacteriana, pois a acumulação da mesma constitui um dos principais fatores de risco no desenvolvimento destas doenças. O tratamento pode passar por destartarização, alisamento radicular ou cirurgia. A imagem seguinte mostra como se apresentam dentes/gengivas infetados e dentes/gengivas saudáveis.

Dentisteria: 

A dentisteria é a área da Medicina Dentária que “ restaura os dentes” em situações em que o dente é afetado por cárie, fratura, quando se pretende uma alteração por razões estéticas ou quando se pretende substituir uma restauração já existente. Quando a cárie afeta o esmalte e/ou a dentina, o dente é tratado, eliminando a estrutura do dente afetado e reconstruindo-o, quando a polpa dentária é afetada é necessário realizar-se uma endodontia e só posteriormente a este tratamento o dente é restaurado. Existem dois grandes grupos de restaurações, as indiretas realizadas em laboratório e as diretas realizadas no consultório. Quanto ao material definitivo utilizado, o mais frequente é o compósito, mas pode também utilizar-se a amálgama.

Endodontia ou Desvitalização:

A endodontia é a especialidade da Medicina Dentária que estuda a polpa dentária, bem como todos os canais radiculares e os tecido periapicais e as patologias que os afetam. A endodontia dá uma “sobre vida” a dentes que de outra maneira estariam destinados à extração.

A patologia da polpa dentária pode ter origem em cáries extensas, restaurações profundas, ou traumas (por exemplo embate). Os testes térmicos, a radiografia ou a percussão são alguns dos testes de diagnóstico que permitem adotar o tratamento correto.

Este tratamento é feito normalmente em 3 fases (consultas), sendo a 1ª a abertura da câmara onde depois de aberta e limpa a cavidade e os canais, é colocada uma substância medicamentosa nos canais e o dente é fechado com material provisório; a 2ª corresponde à consulta de instrumentação, onde com limas é feita a limpeza e remodelação dos canais, nesta consulta o dente também fica com material medicamentoso e fechado com material provisório; a 3ª consulta corresponde à obturação ou fechamento dos canais, no final o dente é reconstruido com compósito ou amálgama.